PRAZO PARA INSCRIÇÃO: Sexta-feira, 17 de agosto de 2018
Clique em um dos botões abaixo para indicar sua presença.


 
O cenário Sky determina o que acreditamos ser uma rota tecnológica, industrial e economicamente possível para o futuro, consistente com a limitação do aumento da temperatura média global para bem abaixo de 2ºC em relação aos níveis pré-industriais. O estudo revela o potencial para o surgimento de um sistema energético que traga energia moderna para toda a população mundial sem fornecer um legado climático ao qual a sociedade não consiga se adaptar prontamente.

Você é nosso convidado!

Para lançar o cenário Sky no Brasil, a Shell realizará um evento com Wim Thomas, conselheiro-chefe para Assuntos de Energia do Grupo Shell, que apresentará as principais conclusões do estudo. Nesta ocasião, a companhia celebrará também seus 40 anos de atividades globais no segmento de Águas Profundas e seus 105 anos de operações contínuas no Brasil.

Haverá ainda um painel sobre o futuro da energia, com especialistas discutindo de que maneira o mundo pode caminhar na direção de soluções mais limpas, ao mesmo tempo em que a indústria continua a fornecer energia para uma crescente população mundial, que poderá chegar a 9 bilhões de habitantes até 2050.

Lançamento do cenário Sky + 40 anos de Águas Profundas + 105º Aniversário da Shell Brasil

         
  Data:   22 de agosto  
         
  Horário:   9h às 13h  
         
  Local:   Museu do Amanhã
Praça Mauá, 1
Centro
Rio de Janeiro, RJ
 
         
  Agenda:   9h – 10h: Café da manhã de boas-vindas + Exposição Shell
10h – 10h20: Sessão de abertura - André Araujo, Presidente da Shell Brasil
10h20 – 11h: “Cenário Sky” - Wim Thomas, conselheiro-chefe para Assuntos de Energia do Grupo Shell
11h – 12h30: Debate sobre os cenários da transição energética moderado por Clarissa Lins, sócia-fundadora da Catavento Consultoria e diretora do IBP, com Décio Oddone, Diretor-Geral da ANP, e Suzana Kahn, da COPPE/UFRJ.
12h30 – 13h: Considerações finais
 
         
  Contamos com sua presença para contribuir com o debate!
 

Impulsionando o potencial do Brasil na transição energética


Siemens Forum 2018 - 15 de agosto - Rio de Janeiro

Confira abaixo as atualizações do evento e conheça alguns dos palestrantes confirmados!

 
 

 

Foco nos setores de Energia Elétrica e Petróleo e Gás

Por todo setor de energia, no Brasil e no mundo, empresas estão buscando novos modelos de negócios e novas tecnologias para aumentar cada vez mais a sua competitividade. Este é um desafio sem precedentes marcado de forma irreversível pelas rápidas mudanças provocadas pela transição energética e revolução digital.  
 
Discutir estes desafios e as oportunidades que estão à nossa frente, com exemplos de casos e soluções que já estão disponíveis, é o proposito do nosso Siemens Forum 2018.  
 
 
“Vamos discutir juntos o futuro dos mercados de energia elétrica e petróleo e gás no Brasil! Será uma grande satisfação contar com a sua presença”.
 
Andre Clark 
Presidente e CEO da Siemens no Brasil
 


Atualizações

 
Dia Horário Local

15/08/2018

Das 8:00 às 17h30

Belmond Copacabana Palace
Avenida Atlântica, 1702, Copacabana, Rio de Janeiro – RJ
     
~ 150 participantes entre CEOs, Diretores e Especialistas Exposição digital nossas inovações mais recentes nos setores de Energia Elétrica e Petróleo e Gás
Confira a agenda do evento a seguir
 

Impulsionando o potencial do Brasil na transição energética

Conferências visionárias sobre megatendências                                 

08:00-09:00 Credenciamento
09:00-11:00 Engenhosidade para a vida
Transição Energética: Tendências e Desafios
Posicionamento da Siemens: Conectando um mundo totalmente eletrificado
RIO 2030/40: Construindo uma vida melhor por meio de tecnologias inovadoras

11:00-11:40     Exposição Digital e Networking

Gerando valor nos setores de Energia Elétrica e
Petróleo e Gás          

11:40-12:40 Tecnologias e soluções para os novos desafios do setor elétrico
Inovações globais e conteúdo local potencializando os investimentos em Petróleo e Gás 
Programas especiais
11:40-12:40 Modernização dos transportes de carga e passageiros


12:40-14:00     Almoço e Networking 
 

Painéis e palestras debatendo as principais tecnologias e soluções para a transição energética

14:00-16:40 Digitalização das Redes de Energia
  • Cybersecurity em sistemas elétricos
  • Alta eficiência em sistemas de transmissão e distribuição (HVDC/MVDC)
  • MindSphere concept: Digital Grid Asset Management
14:00-16:40 Sistemas de Energia Descentralizada
  • Energy as a Service
  • Future Grids: PV, Storage, E-mobility
  • Novo marco regulatório e sua importância para a transição energética
14:00-16:40 Aumento de Eficiência no Setor de Petróleo & Gás
  • Portfólio customizado
  • Tecnologias digitais para o setor de Petróleo e Gás
  • Novos  modelos de operação em serviços
  • Soluções de financiamento
14:00-15:00 #FutureMakers – Conheça as grandes oportunidades da Transição Energética

16:40-17:30     Coquetel de encerramento e Networking 
 

Para saber mais sobre o Siemens Forum 2018, clique no botão abaixo e acesse o site do evento:

 

Clique aqui

Frota de carga emitiu em 2016 mais do que todas as termelétricas fósseis somadas, mostra nova análise de dados do SEEG

O transporte de cargas no Brasil emitiu em 2016 quatro vezes mais gases de efeito estufa do que a Noruega emite anualmente. Apenas os caminhões lançaram no ar 84,5 milhões de toneladas de CO2equivalente*, mais do que todas as termelétricas fósseis em operação no país (54,2 milhões de toneladas).

Os dados são de uma nova análise das emissões do setor de energia do SEEG (Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa), publicada nesta quarta-feira (13) pelo Observatório do Clima. O relatório mostra que a frota de caminhões foi o principal emissor de poluentes climáticos do setor de energia no Brasil naquele ano, o mais recente para o qual há dados disponíveis. E indica como será difícil descarbonizar esse segmento da economia, em especial após a greve dos caminhoneiros, que resultou num aumento do subsídio ao óleo diesel.

Leia Completo em Observatório do Clima