Visão geral do desafio

 

Esta é a versão em português para a inscrição do Desafio Rethink Plastics.

Aquí esta la versión en español del Desafío Rethink Plastics.

Here is the English application for the Rethink Plastics Challenge

A região da América Latina e do Caribe abriga recursos naturais vitais para a subsistência e a prosperidade econômica de seus cidadãos, bem como para a saúde e o bem-estar do planeta e daqueles que vivem aqui. Essa região possui o segundo maior ecossistema marinho do planeta com recifes de corais que se estende da Patagônia até a Amazônia.

O plástico provou ser uma das inovações industriais mais importantes do mundo, mudando as indústrias em todo o mundo, da medicina até a alimentação, e por isso é tão onipresente em nosso dia a dia. No entanto, o plástico também gerou imensos impactos na saúde humana e ambiental. A produção de plásticos a partir de combustíveis fósseis é o segundo maior e o mais rápido contribuinte para o aumento nas emissões industriais de gases de efeito estufa, que é o principal fator da mudança climática. Em todo o mundo, um milhão de garrafas plásticas de uso único são compradas a cada minuto e 5 trilhões de sacolas plásticas de uso único são utilizadas a cada ano e apenas uma pequena fração delas acaba sendo recuperada. Com a maioria terminando em nosso ambiente natural, os resíduos plásticos liberam produtos químicos tóxicos nos suprimentos de água doce, no solo e nos ecossistemas marinhos.  

Em vários países da região, proibições e impostos sobre o varejo de sacolas plásticas levaram a reduções no uso; métodos inovadores de incentivo em bairros aumentaram a reciclagem; aplicativos móveis estão ajudando as pessoas a descartarem adequadamente seu lixo na ausência serviços formais de coleta de lixo. Embora estes sejam passos promissores na direção certa, a América Latina e o Caribe estão bem posicionados para desenvolver e implementar novas práticas para reduzir substancialmente ou eliminar resíduos plásticos. 

Para reduzir ou eliminar a produção de plásticos de uso único e resíduos plásticos na região latino-americana, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) está buscando soluções inovadoras que:

  • Incorporem alterações nos modelos de negócios de uso de plásticos em embalagens e transportes;
  • Reduzam plásticos de uso único e resíduos plásticos promovendo mudanças no comportamento do consumidor e incentivando a reutilização e a reciclagem;
  • Permitam que o setor público, especialmente os municípios, possa testar e implementar sistemas novos e inovadores para o gerenciamento de resíduos.

Regras Oficiais do Desafio Rethink Plastics estão aqui.

Veja no site oficial

O anúncio nas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro, com o apoio dos líderes do Congresso Nacional, em favor da energia solar no País, com a criação de um Projeto de Lei (PL), reflete uma união surpreendente entre os poderes Executivo e Legislativo pelo desenvolvimento da fonte solar fotovoltaica no Brasil.

O próprio presidente Bolsonaro afirmou ontem (domingo) que o PL é fruto de uma articulação entre o Executivo e o Legislativo, com o apoio dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Em uma das postagens, Jair Bolsonaro disse que "o presidente da Câmara colocará em votação Projeto de Lei, em regime de urgência, proibindo a taxação da energia gerada por radiação solar. O mesmo fará o presidente do Senado. Caso encerrado."

Bolsonaro afirmou ainda, em vídeo publicado mais cedo, que, se dependesse dele, não haveria cobrança sobre a energia solar no País. "É posição do presidente da República, no que depender de nós, não haverá taxação da energia solar", declarou. O próprio Rodrigo Maia repercutiu em suas redes o vídeo do presidente Bolsonaro e afirmou que "concordo 100% com ele (presidente Bolsonaro) e vamos trabalhar juntos no Congresso contra a taxação da energia solar."

Recentemente, o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, reconheceu a necessidade de alterações e melhorias no texto proposto pela entidade reguladora. Em entrevista recente ao site Megawhat, Pepitone afirmou que quaisquer mudanças regulatórias passariam a valer apenas para as novas conexões a partir de 2021, mantendo por 25 anos as regras vigentes para os consumidores que já investiram no sistema solar fotovoltaico.

Leia completo em Terra.

suzana globo news novembro

ONU: emissão de gases de efeito estufa deveria cair 7% ao ano até 2030

Veja o vídeo na integra no link a seguir:

http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/t/videos/v/onu-emissao-de-gases-de-efeito-estufa-deveria-cair-7-ao-ano-ate-2030/8117047/?fbclid=IwAR1uoekTzgxcGhoSxWe1_E9pkOVyP8DT_gsn37n6gimLY2EeV9tW0Cqo26g